(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



terça-feira, 23 de junho de 2009

OS POETAS LUSÍADAS, 20


SEMPRE

Pensas que te não vejo a ti? Bem era!
Gravei tão vivamente n’alma a doce
E bela imagem tua, que eu quisera
Deixar de contemplar-te só que fosse
Um momento, e não posso, não consigo:

Foges-me, escondes-te e, que importa? Esculpes
Mais fundo ainda os indeléveis traços!
Realça-te o retrato! E não me culpes!
Culpa-te antes a ti!... Sigo-te os passos!
Vejo-te sempre! trago-te comigo!

João de Deus

Sem comentários:

Publicar um comentário