(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



segunda-feira, 1 de março de 2010

PALAVRAS QUE FAZEM VER, 18

[Álvaro Ribeiro e a palavra]

no centésimo quinto aniversário do nascimento do filósofo


“Todo o ensino é relação de pessoa a pessoa. A própria palavra ensino, em seu significado étimo, se aproxima das noções de signo, insígnia e segredo. Qualquer que seja a distância entre a boca e o ouvido, qualquer que seja a altura da voz, o essencial do ensino é sempre o que se efectua por tradição.”

“Dizer que o ensino é relação de pessoa a pessoa equivale a dizer que o ensino não é relação de pessoa a livro. Sem claridade nesta distinção, tudo se obscurece, e logo a didáctica subordina o pessoal ao impessoal. Porque se ensina alguém a transitar da potência para o acto, a actuar, e até a atingir a perfeição, porque esse ensino é ministrado por palavras, pelo diálogo socrático, urge entender que o ensino cessa e dá lugar á aprendizagem, logo que o aluno deixa de ouvir para ver, ou de ver para agir.”

“O ensino pressupõe um simbolismo, em vez de um realismo, e símbolos começam a ser as palavras do mestre, as palavras que estimulam o discípulo a realizar os conceitos. Símbolos audíveis, símbolos visíveis, símbolos tangíveis ou imagens modificáveis pela técnica, pela ciência e pela metafísica, não representam a adequação legítima entre a evolução humana e a realidade absoluta, infinita e universal.”

“Quem não estiver munido de uma bibliografia antes de entrar numa biblioteca, quem não souber escolher as leituras segundo um propósito em vista, perderá tanto tempo quanto perderá o estudioso que não estiver munido de um questionário antes de se aproximar de um livro de ciência. O ensino universitário não pode, porém, ser apenas historicista. Deve principalmente ser constituído pela metodologia da investigação científica, da especulação filosófica e da imaginação artística, o que exige a relação oral do mestre com o discípulo.”

“Ensinar a pensar é, pois, ensinar que o manifestado ao alcance das mãos, dos olhos e dos ouvidos é apenas materialização de uma realidade transcendente. A palavra é, sem dúvida, de todos os símbolos o mais verdadeiro. Conferindo significação a tudo quanto é audível, visível e tangível, a palavra torna possível a educação e a evolução da humanidade.”

Álvaro Ribeiro

(excertos retirados de A Razão Animada, INCM, 2009)

Sem comentários:

Publicar um comentário