(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



domingo, 21 de junho de 2009

A DOR E O AMOR: AS «PROSAS DISPERSAS» E A FILOSOFIA DE GUERRA JUNQUEIRO


Revisitação. Guerra Junqueiro não chegou a concretizar o projectado livro A Unidade do Ser, onde nos daria a conhecer, de forma sistemática, o seu pensamento filosófico. Mas, a esse pensamento – pelo menos, até certo ponto –, será sempre possível reconstitui-lo, seja através das páginas (um resumo completo) daquela obra em prosa que puderam chegar até nós, seja a partir da poesia do vate da Pátria, e também pela leitura das suas prosas dispersas, reunidas em volume em 1921, ainda em vida do poeta. A partir de amanhã, e até à próxima sexta-feira, aqui iremos publicar algumas dessas Prosas Dispersas, pondo em evidência as duas polaridades que tendem a definir a filosofia de Junqueiro: a Dor e o Amor. Acresce que, nesta selecção de textos, o diálogo com a poesia será quase uma constante, circunstância que a rubrica Os Poetas Lusíadas não deixará de sublinhar.

Sem comentários:

Publicar um comentário