(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



domingo, 29 de janeiro de 2012

EXTRAVAGÂNCIAS II, 1


A Dança

Cynthia Guimarães Taveira


A Dança cumpre-se em três momentos: o da música, o da beleza, o das palavras veladas.
(Dos olhos ao cabelo,
da ponta dos dedos ao ventre,
dos saltos para longe da terra,
das asas que se abrem, do gesto amplo e amplificador)
A dança é:
A dança é do corpo e transcende-o.
A tradução do cosmos
O eco da voz que reside no espaço oculto
A dança não resume, nem minimiza por ser totalizante.
A dança é a voz e o corpo dos deuses
A voz e o corpo dos homens.
É onde ambos se encontram
A dança é a contra-face da morte como nada.
A dança não se impõe. Realiza-se no espaço e no tempo.
É a grande e meta-linguagem
A única, que de verdade chega aos céus e os arrasta com ela.
A dança é um mito vivo. Inesperado.
A dança é aquilo que ninguém exclui
A dança é o que de absoluto se faz para se chegar ao Absoluto
A dança é o corpo da Magia.
A Magia a sua alma
O Espírito denso, em ciclo que se fecha,
O seu corpo



Sem comentários:

Publicar um comentário