(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



sábado, 25 de setembro de 2010

REENTRAR NA «CATEDRAL», 7



Rosa
Isabel Xavier

O vermelho que naquela rosa existe
Causou-me espanto quando há pouco o vi
Não sei se me senti alegre ou triste
Nem sei bem dizer o que senti.

Tudo em mim mudou, ficou diferente
E nem olhar segunda vez ousei
A rosa lá, em seu vermelho ardente
E eu parada no momento em que a olhei .

Se um novo olhar quebrasse esse feitiço
Que pecado maior podia haver?
A rosa, o sol, os campos, tudo isso
Lembram-me quanto sou pequeno ser.

Há sensações únicas na vida
Quisera saber guardar esse momento
Quisera em sua força desmedida
Poder ancorar meu pensamento

Tudo passa, cada instante traz
Um novo instante, igual e diferente
Mas só pode julgar que tanto faz
Quem em si traz a alma doente.

Sem comentários:

Publicar um comentário