(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



segunda-feira, 12 de outubro de 2009

AFORISMOS, 6

Eduardo Aroso

26 - O olhar de uma criança: altar de Deus.
27 - Pôr-do-sol: aceitação do feminino.
28 - Ressurgimento (ressurreição) da Terra: não ajudes à sua aniquilação, que do ressurgimento ela se encarrega!
29 - São muitos os exemplos que nos dizem que, em última instância, o rumo superior da História escapa sempre àquilo que os Homens gostariam que de todo ela fosse… Neste ponto, encontramos também o sentido do adágio «Deus escreve direito por linhas tortas».
30 - Quando a vida me permite e simultaneamente me impele a calcorrear o país, sinto ainda um pulsar medular, e uma parece-que-perdida imagem que de repente me rodeia como um fantasma. É a alma da nossa gente, um rosto de dentro com um íntimo de sobrevivência, mas acrescentado na virtude a dizer que não renega. O outro rosto, o de fora, sobreposto, a derreter-se no artificialismo imposto. E neste aperto recordo sempre, comovido, os versos de Miguel Torga «Ah, meu povo traído, /Mansa colmeia/A que ninguém colhe o mel!...»

Sem comentários:

Publicar um comentário