(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



sábado, 16 de outubro de 2010

EXTRAVAGÂNCIAS, 104


Civismo
Eduardo Aroso

A tua oficina tem mais um dia
Este em que nasce outra pedra bruta,
Mas com a luz do sol que te alumia
Para arrancares a sombra que há na gruta.

Relê e pensa diariamente a constituição,
E a lápis fez os teus registos pessoais;
Só é verdade o que lá está pela acção
De outras Índias achar no meio de vendavais.

Deixa as frases feitas e o novo-riquismo,
Disse o poeta que são «cadáveres adiados».
Tu e o teu vizinho lavrem com o arado do civismo,
Não esperem pela assembleia de tantos deputados.

Tem fé, não desanimes, que há-de vir o dia
Do sonho feito garantia, a perfeita lei.
Ajuda a fundar uma outra dinastia
Na república onde o Povo será rei.

Agosto de 2010

Sem comentários:

Publicar um comentário