(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



quinta-feira, 9 de setembro de 2010

REENTRAR NA «CATEDRAL», 3


Palavras

Isabel Xavier

Como se respondesse ao apelo que há na terra
Ou não assistisse à morte do sol, diariamente
Como se o tempo percorresse cada era
Só pela paisagem que a manhã revela sempre

Como se os meus sonhos fossem doutros sonhos
Que nem mesmo em mim ouso sonhar
Vindos de um mundo mais real que os sonos
De quem um sono assim tem que acordar

Como se entre eu e nós fosse a distância
Que há dos sonhos meus ao que outros são
E neles não pulsasse a pura ânsia
Que faz sentir a terra além do chão

Como se com o sol não amanhecesse
Em cada dia a luz da criação
E em cada ser humano não houvesse
Um sentido p’rá luta pelo pão

Como se a simples lágrima vertida
Por alguém que sofre a sua sorte
Não alterasse o rumo de uma vida
E o Amor não vencesse a morte

E da memória não se insinuassem
Por entre as minhas mais longínquas penas
Indizíveis sons que em meus sonhos cruzassem
As palavras que fazem meus poemas.

Sem comentários:

Publicar um comentário