(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



segunda-feira, 27 de abril de 2009

SAUDAÇÃO A ANTÓNIO TELMO, 1

Ao António Telmo
Isabel Xavier

Quando alguém nos é como o lugar
Que desenha Terra e Céu no horizonte
Ponto onde o sol vai mergulhar no mar
Ou o luar incide sobre o monte

Quando alguém é para nós o mastro
O vento que enche as velas, branca escuna
Sulcando o azul do mar, em sobressalto
O grito da gaivota sobre a espuma

Quando alguém é para nós o cais
Onde aportamos após a travessia
O ouro puro, puros os cristais
Rosa-dos-ventos além da maresia

É que se dá o anúncio da passagem
Milhares de asas de pássaros batendo
E a luz intensa desfere na paisagem
Golpes mortais dos quais vamos nascendo.

Sem comentários:

Publicar um comentário