(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



domingo, 19 de abril de 2009

OS POETAS LUSÍADAS, 8

SENHORA DE MARÇO

Chegara Março. Eu via abrir-se a vida
Como uma rosa enfim desabrochada:
A terra, era mais verde e mais florida;
E madrugava mais a madrugada.

Das altas ondas do mar largo erguida,
A névoa se esvaía em luz doirada;
Cada frágua, uma fonte enternecida;
Toda a pomba, feliz e acasalada.

O espírito divino da Beleza
Tinha encarnado em ti, ó meu Amor:
De ti vivia toda a Natureza!

Eu tinha o mundo em mim: em tudo esparso,
Eu era a onda e a ave, a luz e a cor…
- Era o meu coração um mês de Março!

Belinho

António Corrêa d’Oliveira

Sem comentários:

Publicar um comentário