(os textos assinados são da exclusiva responsabilidade dos seus autores)

Leia aqui a homenagem da Fundação António Quadros a António Telmo.



quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A MINHA CARTILHA, 5

XLII
Deus, criando, é ele; destruindo, é Lúcifer. Lúcifer, eis a razão de Deus. E o nosso corpo não é a razão da nossa alma? O bandido gera o Santo, o profeta da Plebe, esse Isaías, fulmina o padre da Sinagoga, esse Caifaz, e o Filho corrige o Pai. E temos toda a Bíblia, todas as Bíblias, desde a de Nietzsche e Satan à de Moisés e Jeovah. De resto, há uma só Bíblia, com as páginas em conflito, - umas, lampejando o perfil de Cristo, outras, o do Anticristo. E, na página em branco inicial, e a tinta branca, a imagem única de Deus. Não a vemos, mas pressentimo-la, em certos momentos de inspiração, ou de sensibilidade afinada até ouvir o murmúrio da Fonte Original, a sinfonia do nascimento das esferas, tão irmã da música das lágrimas que nos deslizam pelo rosto, como as estrelas pela face da noite. E, em nossos sonhos, branquejam nebulosas, pois em toda a humana criatura, está o Criador, como o Cervantes no Dom Quixote e, no Hamlet, o Shakespeare.
Teixeira de Pascoaes

Sem comentários:

Publicar um comentário